Eles lembram do seu nome?


Seu amigo resolve te apresentar a alguém ou até mesmo para a rodinha de pessoas onde estão. Rapidamente, todos te olham esperando que ele diga algo fabuloso sobre você, que por sua vez, estende a mão e diz seu nome, ou simplesmente sorri enquanto ouve nomes que depois de dois segundos não lembrará mais. Mas e o seu, será que você foi interessante o suficiente para que lembrem dele?

É isso que me faz detestar apresentações. São momentos vazios, em que todos só estão sendo educados sem prestar atenção em nada. Parece que a partir do momento que alguém diz ''Gente, quero apresentar...'', o cérebro de todo mundo pifa e aparece aquela tela de erro azul do windows. A partir desse momento se perde todo o interesse, a leveza da interação e a curiosidade. Fora que quem já está na rodinha vai ter uma preguiça dos infernos de explicar sobre o que todos estavam falando, e o apresentado, coitado, fica lá, com cara de mastruz com leite tentando pegar o fim da meada. Resumindo: chato, preciso de um drink, me tirem daqui.  

Pode reparar que as melhores amizades que você tem, todas chegaram até você, ninguém precisou pegar em suas mãos e os apresentarem. Quem nunca fez amizade em supermercado, lojas, filas? É tão natural, e o melhor é que quando você reencontra essas pessoas por aí, elas lembram de você, sabe porquê? Porque foi interessante e para ser assim, tem que ter naturalidade e leveza. Tolos são aqueles que acreditam estar conhecendo alguém em um coquetel, em apresentações e apertos de mãos. Mal sabem que passaram da roleta para o lado da saída ao invés da entrada. 

0 comentários